Palavra do dia

"Eis que DEUS é meu ajudador, o SENHOR é quem me sustenta a vida." (SALMO 54:4)


domingo, 11 de maio de 2014

A GRAÇA DE CRISTO ANULA A LEI? A LEI FOI ABOLIDA NA CRUZ? MAS DE QUE LEI ESTAMOS FALANDO?

Querido leitor, talvez você possa achar o texto um pouco extenso, mas não desanime, vale muito a pena ler.




"A lei do SENHOR é perfeita e restaura a alma, o testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria ao símplises. Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração, o mandamento do SENHOR é puro e ilumina os olhos" (Salmo 19:7,8)

Com base neste Salmo quero começar esta matéria. 
O salmista Davi ao escrever este Salmo estava se referindo não somente ao decálogo (10 mandamentos), mas sim a todo o pentateuco (5 primeiros livros da Bíblia escritos por Moisés). Quando se falava em lei na época de Cristo, logo vinha na mente dos israelitas os 5 primeiros livros da lei escrito por Moisés, nestes livros não só continham a lei dos 10 mandamentos, mas também todo um conjunto de leis que regiam a nação israelita. Nestes livros estão registradas leis civis (todo o código penal do antigo Israel), leis de saúde (saneamento básico, controle de epidemias, dietéticas e de higiene pessoal), leis cerimoniais, (sacrifício de animais, anos sabáticos, festas e seus rituais) e a lei moral (os 10 mandamentos).

É interessante lembrar que quando a Bíblia cita a palavra lei, nem sempre ela está se referindo aos 10 mandamentos somente, muitas vezes a palavra lei na Bíblia se refere, ou a alguma lei específica que não seja os 10 mandamentos, ou a todas as leis ao mesmo tempo, isso vai depender do contexto cujo qual a palavra é aplicada. E é neste ponto, onde muitas pessoas se confundem e acabam misturando as coisas interpretando de maneira errada o texto bíblico.

Uma das interpretações erradas da Bíblia sobre a lei, é o fato de alguns dizerem que quando Cristo morreu na cruz a lei foi abolida, deixou de existir, não está mais em vigor. Realmente, a palavra de DEUS nos diz que quando Cristo morreu a lei foi abolida. Mas qual a lei que foi abolida? 
Isso é o que vamos ver agora com base nas Escrituras Sagradas.

"Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz,
E pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades." (Efésios 2:15-16)

Esta lei que foi abolida na cruz por Cristo, não se trata exclusivamente de todo o pentateuco, e muito menos se trata do decálogo, tamanha heresia seria se eu afirmasse isso, pois estaria contradizendo todo o contexto bíblico.

Mas de qual lei afinal se trata então? Qual lei que foi abolida?
Se paramos um pouco para analisar o livro de Levítico, podemos ver que ali existem muitas leis que não estão ligadas aos 10 mandamentos. Observe o capítulo 23 principalmente, ali podemos encontrar alguns rituais rodeados de simbologias.

"Estas são as solenidades do SENHOR, as santas convocações, que convocareis ao seu tempo determinado:
 No mês primeiro, aos catorze do mês, pela tarde, é a páscoa do SENHOR.
 E aos quinze dias deste mês é a festa dos pães ázimos do SENHOR; sete dias comereis pães ázimos.
No primeiro dia tereis santa convocação; nenhum trabalho servil fareis;
Mas sete dias oferecereis oferta queimada ao SENHOR; ao sétimo dia haverá santa convocação; nenhum trabalho servil fareis." (Levítico 23: 4-8)

Este texto apresenta um ritual pascal, este ritual era  anual e fazia alusão a libertação  de Israel da terra do Egito, e consequentemente, apontava diretamente para o sacrifício de Cristo, pois os israelitas viveram 400 anos como escravos no Egito, e DEUS os libertou da escravidão sem os Israelitas merecerem porque eles eram um povo de dura cerviz "Disse mais o SENHOR a Moisés: Tenho visto a este povo, e eis que é povo de dura cerviz."  (Êxodo 32 : 9)
Da mesma sorte, nós que, antes éramos escravos do pecado, agora somos libertos pelo sacrifício de Cristo sem ao menos merecer, ou seja, Cristo nos ofereceu a salvação de graça da mesma maneira que os Israelitas foram salvos de graça independente das obras da lei, já que eram um povo rebelde. 
A partir daí podemos ver que a salvação no antigo testamento não era pelas obras como muitos afirmam. Muito pelo contrário! A salvação desde os tempos de Adão era e é única e exclusivamente pela graça.

"Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo:
 Mas aos dez dias desse sétimo mês será o dia da expiação; tereis santa convocação, e afligireis as vossas almas; e oferecereis oferta queimada ao SENHOR.
E naquele mesmo dia nenhum trabalho fareis, porque é o dia da expiação, para fazer expiação por vós perante o SENHOR vosso Deus."(Levítico 23: 26-28)

Este ritual também apontava para o sacrifício expiatório de Cristo.
No capítulo 16 do Livro de Levítico podemos ver um claro exemplo do sacrifício de Cristo representado pelo sacrifício de animais: "Para que os filhos de Israel, trazendo os seus sacrifícios, que oferecem sobre a face do campo, os tragam ao SENHOR, à porta da tenda da congregação, ao sacerdote, e os ofereçam por sacrifícios pacíficos ao SENHOR.
 E o sacerdote aspergirá o sangue sobre o altar do SENHOR, à porta da tenda da congregação, e queimará a gordura por cheiro suave ao SENHOR". (Levítico 16: 5, 6) . (Sugiro que você leia até o versículo 23 para obter mais detalhes).

Estes dias de consagração e cheios de rituais, eram marcados por uma solenidade muito grande, tanto é que os Israelitas chamavam estes feriados de sábados, ou seja, dia de cessação, dia de repouso. Tais festas como páscoa, festa das primícias, festa dos tabernáculos, dia da expiação, pentecostes eram todos acompanhados de grande solenidade e ninguém se envolvia em serviços seculares, por isso eram considerados como sábados cerimoniais, e quando estes feriados caíam no sétimo dia, num dia de sábado semanal, eles consideravam aquele sábado de "grande sábado", pelo fato de duas solenidades serem comemoradas no mesmo dia.
Todas estas festas e rituais apontavam para o sacrifício de Cristo na cruz. Jesus era representado pelo cordeiro morto que expiava os pecados dos Israelitas, e a prova cabal disso está nas palavras de João Batista ao avistar Jesus próximo ao rio Jordão:
"No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo."(João 1:29)

João Batista sabia que o cordeiro morto representava Cristo que um dia morreria pela humanidade, pois João cresceu praticando esse ritual. 
O profeta Isaías também profetizou a respeito do messias usando a simbologia de um cordeiro:
" Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos.
Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.
Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.
Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades  o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.
Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos.
Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca."(Isaías 53: 1-7)

Sendo Jesus o cordeiro de DEUS representado pelo cordeirinho sacrificado e pelos rituais alegóricos no antigo testamento, tendo Cristo sido morto na cruz, não haveria mais a necessidade de sacrifícios de animais e de todos aqueles rituais, pois o verdadeiro sacrifício, o verdadeiro ritual já havia sido feito. 
Cristo era o cordeiro de DEUS! Todo aquele ritual foi abolido permanentemente.
"E Jesus, clamando outra vez com grande voz, rendeu o espírito.
E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras;
E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados;
E, saindo dos sepulcros, depois da ressurreição dele, entraram na cidade santa, e apareceram a muitos.
E o centurião e os que com ele guardavam a Jesus, vendo o terremoto, e as coisas que haviam sucedido, tiveram grande temor, e disseram: Verdadeiramente este era Filho de Deus." (Mateus 27:50-54)

Quando Cristo morre, o véu do templo se rasga de alto a baixo, isto significa que não é mais necessário a mediação de um sumo sacerdote terreno para fazer expiação por nós, pois aquele sumo sacerdote que fazia espiação com o sangue dos animais era representante de Cristo fazendo espiação por nós com o seu próprio sangue.
Com a morte de Cristo, o sistema do santuário terrestre foi abolido. A prova disso é o véu do templo se rasgando de alto abaixo, indicando que agora mediante o sacrifício de Cristo temos o livre acesso ao lugar santíssimo, portanto, podemos chegar diante do trono de DEUS sem nenhum empecilho, pois Jesus é o nosso mediador.

"Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem."(1 Timóteo 2:5)



Não existe outro sumo sacerdote ou outra pessoa capaz de fazer mediação entre nós e DEUS, somente Cristo é capaz de fazer isto, ele é o sumo sacerdote.

O serviço do sumo sacerdote do santuário terrestre, cessou, acabou, foi abolido.



Agora você já sabe qual lei que foi abolida na cruz, a lei de sacrifícios, festas e sábados cerimoniais. Alei dos 10 mandamentos permanece intacta, Jesus não anulou uma vírgula sequer do decálogo.



"Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.

 Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.
 Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.
 Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo." (Mateus 5: 17 -21)

Mas e quanto a graça?
Ora, a graça sempre existiu! Quando Adão pecou, a promessa era que ele morreria. Veja:
" Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás."(Gênesis 2:17) 

Mas tão logo Adão pecou e se cobriu de folhas de figueira para tapar  sua nudez 
(Gênesis 3:7), DEUS em sua infinita misericórdia, anuncia a Adão o plano da salvação (Gênesis 3:15) e lhe oferece o perdão dizendo que ele merecia a morte eterna, mas quem ia morrer no lugar de Adão seria o próprio DEUS, e quando DEUS faz vestes de pele de cordeiro (Gênesis 3:21), Adão entende que aquele cordeiro morto representava o próprio DEUS encarnado, Cristo Jesus, que um dia viria e morreria por ele. Assim como o sacrifício do cordeiro proveu vestes para tapar a vergonha de sua nudez, o sacrifício de Cristo proveria vestes espirituais para tapar a vergonha e a nudez causada pelo pecado. Adão foi salvo pela graça, e toda sua descendência tiveram oportunidade da salvação mediante a graça, pois morreram acreditando no sacrifício vindouro de Cristo representado nos rituais de sacrifícios de animais.
Quando Cristo morre lá na cruz, a dívida de toda a humanidade, desde os tempos de Adão até o tempo do fim é quitada para sempre.

Mas acontece que nos dias de Paulo, muita gente não entendia o que era ser seguidor de Cristo, muitos se declaravam cristãos, mas ainda continuavam na praticando os rituais do antigo testamento já abolidos na cruz por Cristo. Procuravam serem justificados pelas obras desconsiderando assim o sacrifício de Cristo na Cruz. 
Muitos Judeus da seita dos fariseus se infiltravam no meio dos cristãos para persuadí-los a seguir uma doutrina que já havia sido abolida, e uma das doutrinas era a circuncisão, um ritual  dado nos tempos de Abraão, uma marca na carne que deixou de ser relevante após o sacrifício. Isto estava causando muita confusão dentro da igreja, pois os cristãos judeus, estavam querendo circuncidar os gentios conversos.
Foi então que Paulo, a fim de lançar mais luz sobre o sacrifício de Cristo, escreveu para aquelas pessoas falando sobre a lei e sobre a graça. E ele explica muito bem sem deixar sombra de dúvidas.

"Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado." (Romanos 3:20)

"Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;
Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.
 Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados antes cometidos, sob a paciência de Deus;
Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.
É porventura Deus somente dos judeus? E não o é também dos gentios? Também dos gentios, certamente,
 Visto que Deus é um só, que justifica pela fé a circuncisão, e por meio da fé a incircuncisão." (Romanos 3: 23-29)

Paulo Fala da importância da Justificação pela fé, pois se o homem pudesse ser justificado pelas próprias obras, não seria necessário o sacrifício de Cristo em prol da salvação do homem. Mas isto não significa que a lei deve ser desconsiderada, veja o que Paulo diz na sequência:

"Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei."(Romanos 3:31)

E ele diz mais no decorrer de sua epístola aos romanos:

"Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás." (Romanos 7:7)

Aqui Paulo fala sobre a importância da lei, ou seja, sem lei desconhecemos o pecado, sem lei não existe justiça, o pecado se torna banal, pois não tem lei para acusá-lo. A lei diz para não cometer adultério. Imagine se esta lei não existisse? Seu marido ou sua esposa poderia sair e manter relações com quantas pessoas bem entendesse e não poderia ser acusado de estar cometendo pecado, pois esta lei do adultério não existiria. A lei diz que é pecado matar, imagine se não existisse esta lei. Qualquer desavença seria motivo de morte, ninguém respeitaria a vida de ninguém, pois não seria pecado matar.
Você viu o quão perigoso é afirmar que Cristo aboliu a lei dos Dez mandamentos?

Paulo afirma que "Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça;" (Romanos 5:20)

"Que diremos pois? Permaneceremos no pecado para que a graça seja mais abundante?
De modo nenhum! Como viveremos ainda no pecado, nós que para ele morremos?(Romanos 6:1, 2)

O que é pecado?

Defina o pecado...

A Bíblia responde claramente o que é pecado:

"Todo aquele que pratica pecado, também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei" (1 João 3:4) (versão Almeida RA).

Se você transgride a lei, você comete um pecado. Ora! Paulo está dizendo que não é por que somos salvos pela graça que devemos continuar a transgredir a lei (cometer pecados).

Veja que ele insiste no assunto:

"Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça.
Pois que? Pecaremos porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça? De modo nenhum." (Romanos 6:14-15)

"Por conseguinte a lei é santa, e o mandamento, santo justo e bom" (Romanos 7:12)

"Porque no tocante ao homem interior tenho prazer na lei do SENHOR" (Romanos 7:22)

Se somos salvos pela graça, somos salvos do que? Com certeza somos salvos do pecado. Amém!

Mas levando em consideração (1 João 3:4) de que o pecado é a transgressão da lei, se a lei foi abolida como muitos alegam que foi, não existe mais pecado, pois não existe mais lei para ser transgredida. Ora! Se não existe mais lei para ser transgredida, não existe pecador, pois ninguém pode transgredir uma lei que já foi abolida. 
Se a lei foi abolida, não pode haver transgressão da mesma, se não tem transgressão, não tem pecado, e se não tem pecado não pode haver salvação pela graça.

E daí? Como é que fica? 
Agora complicou!

Você viu o quão perigoso é afirmar que a lei foi abolida?
A lei não foi abolida e nuca será abolida! Por isso devemos obedecer, não para sermos salvos pela lei, mas sim porque já fomos salvos pela graça mediante a fé no sacrifício de Cristo.

Considere que um motorista fure o sinal vermelho, um guarda de trânsito o flagra cometendo esta infração, ao conversar com o motorista, ele resolve perdoar a infração do motorista.
O perdão do guarda dá o direito do motorista sair cometendo infração e furando todos os sinais vermelhos que ele ver pela frente? 
Não! É óbvio que não! Simplesmente o guarda o perdoou por aquela transgressão, mas isso não dá o direito dele sair transgredindo todas as leis de trânsito.

Assim acontece conosco, Jesus nos perdoou quando o aceitamos como nosso salvador pessoal, mas isso não dá o direito de sairmos transgredindo a lei e pecando por aí.

Os que se dizem seguidores de Cristo devem obedecer os mandamentos de Cristo.
Veja o que Jesus disse com relação ao seu amor e aos seus mandamentos.

"Se me amais guardarei  os meus mandamentos" (João 14:15)

"Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama, e aquele que me ama será amado por meu pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele" (João 14:21)

"Se guardardes os meus mandamentos permanecereis no meu amor, assim como também tenho guardado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço" 
(João 15:10)


A lei de DEUS se resume em duas partes, amor a DEUS e amor ao próximo, isto é a essência da lei, o amor, por isso Jesus reafirmou em (Marcos 12:29-31) o que já estava escrito em (Deuteronômio 6: 4-5): "Ouve ó Israel, o SENHOR nosso Deus o único SENHOR, Amarás pois o SENHOR, teu DEUS de todo o teu coração, de toda tua alma e de todo o teu entendimento"

"Não te vingarás nem guardará ira contra os filhos do teu povo, mas amarás o teu próximo como a ti mesmo, Eu Sou o SENHOR. (Levítico 19:18)

 Muitas pessoas utilizam o verso de (Marcos 12:29-31) para alegar que Cristo resumiu a lei em duas partes (amar a Deus e ao próximo) e, por isso estamos desobrigados de guardar os 10 mandamentos. Grande engano é afirmar isso, pois amar a DEUS e amar o próximo não anula a lei, pelo contrário, é o fundamento da lei! 
Jesus não deu um novo mandamento, simplesmente reafirmou o que já estava escrito.
Veja o que o Apóstolo João escreveu:

"Se alguém disser: Amo a DEUS, e odiar a seu irmão, é mentiroso, pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a DEUS, a quem não vê. 
Ora, temos da parte dEle este mandamento: que aquele que ama a DEUS ame também a seu irmão" (1João 4:20)

"Nisto conhecemos que amamos os filhos de DEUS: quando amamos a DEUS e praticamos os seus mandamentos.
Porque este é o amor de DEUS: que guardemos os seus mandamentos, ora os seus mandamentos não são penosos" (1 João 5:2)

Você pode observar que o amor está relacionado com a guarda dos mandamentos de DEUS,  devemos guardar os mandamentos por amor e não para ser salvo, pois ninguém é salvo pelas obras da lei. 
 Todos os mandamentos de DEUS estão em vigor. Todos! Sem exceção, inclusive o quarto mandamento que diz para guardar o Sábado, pois este mandamento se encontra junto com os 10 mandamentos em (Êxodo 20: 1 a 17).

Gostaria de falar mais sobre o sábado, mas é um assunto que podemos abordar em uma próxima postagem aqui no blog.

Por enquanto é só, espero que você, caro leitor, tenha se beneficiado deste estudo, caso tenha alguma dúvida poderá estar enviando um e-mail preenchendo o fomulário que se encontra do lado direito do blog.

 Que a graça de Cristo nosso Senhor, o amor de DEUS nosso Pai e o Espírito Santo habitem em seu coração.



Por: ( Weverson Oliveira)

LEIA MAIS SOBRE O ASSUNTO: A Lei e o Evangelho Estão de Mãos Dadas,

Porque Os Adventistas Do Sétimo Dia Guardam o Sábado?,



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...